mídias sociais combinam com livros!

O que a gente lê conta muito para a formação de nosso conteúdo. Afinal, sabedoria é construída por meio do acúmulo de informações, experiências e sinapses (os links cerebrais).

Por isso, hoje eu gostaria de convidar você a conhecer algumas mídias sociais cujo foco não é bisbilhotar a vida alheia, nem encher de fotos das suas viagens, nem conseguir um emprego. Elas servem para você compartilhar os livros que você está lendo, os que já leu, os que pretende ler, os que possui, os que gostaria de ganhar, etc.

 

Skoob – Livros, autores, histórias e amigos, todos conectados

Há alguns anos, eu tenho uma conta no Skoob, a primeira que conheci (parece que estreou no final de 2008). Seu nome é, na verdade, a simples inversão do substantivo livro, em inglês: books <-> skoob. Após fazer o cadastro, você pode buscar por todos os livros que gosta, que pretende ler ou já leu, para montar uma estante virtual – inclusive especificando quais você tem e quais você quer comprar ou ganhar.

Também é possível escrever resenhas e dar notas aos livros, o que pode ser muito útil caso você esteja pensando em comprar um livro mas ainda não tem certeza se ele é bom: a opinião dos outros pode ajudar com a dúvida. Como em toda mídia social, você pode adicionar amigos, trocar mensagens e conferir o que eles estão lendo.

 

O Livreiro – Encontre livros, autores, resumos e dicas na rede social

Lançado no final de 2009, O Livreiro, segundo dados do Alexa, ainda possui bem menos tráfego do que o Skoob. Mas esta mídia social nasceu com forte investimento em marketing, o que já a colocou num patamar respeitável.

Além dos recursos consagrados no Skoob, O Livreiro oferece alguns recursos sociais adicionais, como a possibilidade de incluir fotos e vídeos no perfil, e uma personalização estética na estante virtual: o usuário pode escolher entre madeira, vidro ou aço. O debate também é bastante incentivado no site, o que é positivo para os usuários, que têm um espaço para compartilhar opiniões, conversar e tirar dúvidas.

 

Shelfari – a avó das versões brasileiras

Apesar de parecer algo muito inovador, nem o Skoob nem O Livreiro foram os precursores desse tipo de mídia social vertical. Em outubro de 2006, surgiu a Shelfari, cuja finalidade é a mesma das duas mídias sociais acima. O foco está na literatura e os usuários compartilham livros que estão lendo, montam suas bibliotecas e conversam a respeito dos livros.

Além da Shelfari, estão disponíveis também (em inglês): Goodreads, aNobii, LibraryThing (com versão em português) e WeRead.

 

Transcendendo as mídias sociais

Pedro Markun, do Jornal Debates, mantém o site Livro Livre. A proposta é interessantíssima: você cadastra um livro que queira doar para obter um código, imprime uma etiqueta do site, anota o código do livro e cola a etiqueta. Por último, você “liberta” seu livro, para que outra pessoa possa encontrá-lo e lê-lo. Basta deixá-lo em algum lugar público.

Quem achar, verá a etiqueta com o código identificador e poderá entrar no site para indicar onde encontrou o livro e escrever uma resenha sobre ele. Quando terminar de ler, o novo leitor terá a oportunidade de libertar o livro mais uma vez. Assim, ele passará por várias mãos, cuja única conexão será apenas o livro. Demais!

Conhece outras opções? Compartilhe-as deixando um comentário!