anúncio de Halls no Twitter

Novo exemplo de que mesmo grandes marcas cometem erros crassos.

O contexto do País? Há três anos (desde 2013) o povo brasileiro reclama enfaticamente da falta de qualidade da educação. Além de protestos, ocupações de escolas públicas por melhores salários aos professores e também por mais qualidade. Ouso dizer que a insatisfação se estende às instituições privadas e até mesmo àquela educação recebida em casa, da família.

Numa tentativa de se manter atualizada, posicionar-se como uma marca “descolada”, que tem empatia pela realidade dos estudantes, criativos da Halls (bala britânica produzida pela Mondelēz International, antiga Kraft Foods) concebem um anúncio para ser veiculado no Twitter de conteúdo altamente questionável. Repudiável, lamentável, talvez?

É possível atribuir alguns adjetivos aos alunos da imagem, como: entediados, desinteressados, cansados, descompromissados, desfocados, enfadados, entre muitos outros negativos. Um apoia a cabeça com a mão e braço sobre sua carteira, outro nitidamente cobre os ouvidos numa tentativa de não escutar o conteúdo sendo lecionado.

Jovem aluno pensante em sala de aula. Crédito: Freepik

Não busco uma inquisição nos moldes daqueles que defendem o politicamente correto, quero é lembrar que propaganda requer uma criteriosa ponderação sobre a mensagem porque ela será associada à marca! Num filme ou programa de televisão, uma sátira sobre a realidade da sala de aula não está ligada à percepção de nenhum produto, é apenas entretenimento (e, em alguns casos, arte e crítica).

O professor e o conhecimento retratados como desinteressantes e sem importância colaboram apenas com a já fragilizada percepção dos estudantes brasileiros sobre as instituições de ensino. A criação publicitária poderia ter sido mais sutil e inserir o produto como algo que melhora a aula, acrescenta, sem necessariamente denegrir a circunstância.

Eu, chato e crítico, não fui o único a contestar o anúncio publicado no Twitter. Confira:
halls-comentarios
halls-comentarios

E você, concorda que Halls foi infeliz com este anúncio?
Acha que a propaganda não deve considerar os fatores apresentados?
Como você teria feito este anúncio?
Deixe a sua opinião nos comentários!

Tuíte original incorporado do anúncio de Halls (se não for apagado):